Espetáculo de Abertura do 11o. Festival Internacional de Bonecos de Brasília

Personagem “Caboclo D’água”, integrante do espetáculo de abertura do Festival, “Os Olhos do Surubim Rei”, do Grupo Teatro kabana/Sabará/MG – foto de Bruno Figueiredo

Abertura
12/11/2012
Grupo Teatro Kabana – MG
Espetáculo: Os olhos do Surubim Rei
Local: Sala Martins Penna / Teatro Nacional, 21h.

O Grupo
Há 30 anos o Grupo Kabana desenvolve pesquisa, experimentação e montagens, trabalhando diferentes linguagens e tendências dentro das artes cênicas; tendo como focos principais o teatro de rua, o teatro de bonecos e o circo-teatro. O espetáculo Os Olhos do Surubim Rei, em função de suas especificidades, demanda uma infra-estrutura própria e, para sua realização, o grupo criou uma Tenda/Teatro, com arquibancadas para 150 espectadores, blackout e o “aquário”, onde se desenrola a encenação.
O Espetáculo
O espetáculo “Os Olhos do Surubim Rei” é um mergulho nas tradições, costumes, mitos e lendas que povoam os rios brasileiros, em especial o Rio São Francisco; utiliza técnica de manipulação de bonecos na água, inédita no Brasil. Uma viagem surpreendente pelos mistérios e encantos de um rio… Avô e neto embarcam em uma pequena canoa, atendendo ao chamado do grande Surubim Rei, personagem mitológico, temido e respeitado pelos ribeirinhos.
Bonecos esculpidos em madeira deslizam sobre a água, embalados por melodias e percussão executadas ao vivo. A técnica de bonecos sobre a água possibilitou ao Grupo explorar a riqueza do universo dos rios, suas lendas, seus mitos, personagens e segredos.

A Técnica
A origem da técnica de manipulação de bonecos nas águas é obscura, mas possivelmente já no século XI integrava a vida cultural do Vietnã. Era uma arte cujos segredos, mantidos restritos, se transmitiam dos mais velhos aos mais jovens dentro de uma mesma família. Em 1980 foi considerada uma arte extinta, quando uma organizaçãofrancesa veio proporcionar vida nova a esta tradição. Os grupos atualmente existentes já se apresentaram em outros países, e podem ser vistos em atividade tanto em Hanóicomo na cidade de Ho Chi Minh.
Foi, então, em uma técnica utilizada por um povo de cultura tão diferente e distante de nós, que fomos nos referenciar para essa montagem que, assim como na tradição vietnamita, fala da vida, dos costumes, personagens, mitos e lendas que povoam os rios brasileiros.

Ficha Técnica
Direção geral: Mauro Xavier

Dramaturgia: Nélida Prado

Criação de bonecos: Tião Vieira

Trilha sonora: Pedro Delgado e Luiz Vitorino

Programação visual: Léo Ladeira

Manipulação de bonecos: Lira Xavier, Nelson Martins, Valney Almeida, Wallace Duarte e Nélida Prado

Total de integrantes: 7

Duração: 1 hora